segunda-feira, 3 de novembro de 2014

No shopping

Atravessou a rua , na passadeira . Havia alturas em que tinha tão pouca confiança em si próprio que tinha medo de tudo .Os automóveis não eram excepção e só sentia segurança se atravessasse a rua nos locais apropriados para o efeito ou , não os havendo , depois de se certificar da absoluta segurança do acto.  Chegava a rir - se da situação mas era assim mesmo. Alcançou então o outro lado e começou a caminhar pelo passeio na direcção pretendida. Sentiu um prazer muito infantil em estar ali àquela hora , livre e sem pressa. A falta de compromisso que , tantas vezes , lhe dava uma inquietante angústia , estava agora a proporcionar - lhe , para além de uma invulgar leveza , uma inebriante sensação de liberdade. Aproveitou então o momento.

Deviam ser umas onze ou onze e meia da manhã. O dia nascera azul , quente , claro e sem chuva. Parecia primavera mas estávamos no Outono. Domingo. Muita gente na rua. Pessoas a pé , algumas de bicicleta e bastantes carros. Apetecia sair de casa depois de tanta chuva . O dia estava belíssimo.

A calçada entretanto acabara e , sem passadeira , atravessou a rua a correr. Antes , olhou duas vezes para cada lado garantindo de que não havia qualquer perigo. Sorriu como um idiota.

Até ao centro comercial deviam ser ainda uns cem metros ou coisa assim. Caminhou tranquilamente olhando em redor como se fosse a primeira vez que calcorreava aquelas paragens. Não era.

Como estão cada vez mais bonitas estas mulheres,pensou.Deus existe,afinal!

Já dentro do edifício , subiu as escadas até ao primeiro andar e entrou na tabacaria. Deu uma vista de olhos nas revistas e jornais mas apenas comprou os cigarros que queria. A empregada era uma miúda muito simpática , com uns cabelos muito bem arranjados e umas mãos elegantes. « Com um dia tão bonito está você aqui fechada? » , perguntou - lhe , sorrindo. Ela sorriu e disse: « Saio daqui a meia hora . Ainda vou aproveitar o dia » . Àquela hora , não havia muita gente no shopping . Andavam todos fora a aproveitar a bondade do tempo  .