domingo, 11 de dezembro de 2016

Domingo. Já não é cedo !

Tenho medo de me abrir , de dar a conhecer o verdadeiro eu que existe em mim.
Acontece - me , por vezes , ter a noção de serem as pessoas que me rodeiam que me impedem de falar , de exprimir o que vai dentro de mim , de mostrar quem sou verdadeiramente . Mas essa é , seguramente , uma crença falsa , uma ideia errada , um preconceito .

A existência é (uma coisa) bela! Poder exprimir o que sentimos e dizer , falando , como somos e quem somos é característica única da espécie humana e é uma coisa maravilhosa . Todos os animais (e as plantas à sua maneira ) comunicam entre si. Pelo cheiro , pelos movimentos do corpo , das patas , focinho , orelhas , olhos, dentes , todos eles comunicam. Mas nós , homens e mulheres , humanos , para além disso , falamos. Falamos e interpretamos o que as palavras , e como são ditas , querem dizer. Temos essa coisa (milagrosa e mágica) da voz audível e soletrada. Entendemos-nos , também , através e pelas palavras .