sexta-feira, 6 de julho de 2018

Um dia grande , foi o de hoje . Junho , Julho e Agosto proporcionam-nos dias assim. Começa-se bem cedo e aí por essas dez da noite parece ter-se vivido uma eternidade. Nem lembramos bem o que fizemos tantas foram as coisas que se sucederam. Lembro-me de ter lido em Camus , no " Estrangeiro " , que bastava viver um dia para haver recordações para o resto da vida. Talvez para o escritor fosse realmente suficiente , dado o seu génio , mas para uma pessoa comum a frase vale pela chamada de atenção para a enorme dimensão que um dia normal pode ter. São muitas as coisas que nos podem acontecer num dia apenas mesmo que nada de extraordinário nos suceda. Basta estar minimamente atento ao que os nossos sentidos vão captando. Se eu me esforçasse podia ser que conseguisse sacar da minha memória os trechos mais significativos do dia de hoje. Foi cedo que começou. Enfrentada e ultrapassada a angústia de mais um despertar solitário , sem ninguém a quem desejar um bom dia , que me causa sempre grande perturbação , lá decidi sair para uma caminhada higiénica . Do estado do tempo já não consigo recordar-me bem , o que me irrita um pouco dado ser sinal de falta de limpidez da memória