domingo, 12 de agosto de 2018

Sim, pensou em almoçar . Passava um bocado da hora habitual mas era domingo , levantara-se tarde e não tinha qualquer compromisso pela frente. Não estava com grande apetite mas mesmo assim foi para a cozinha preparar o que haveria de comer. Não conseguiu tirar da cabeça a mulher com quem falara de raspão na noite anterior e com quem depois cruzou o olhar, em silêncio . Tinha uns amenos e redondos olhos azuis , que o fizeram arrepender-se de não ter prolongado a conversa tida anteriormente mas , naquele instante , nada disseram um ao outro. Percebeu no entanto que ,suspensa no ar , ficara a vontade de ambos de voltarem a conversar. Foi a ideia com que ficou. A mulher que no primeiro contacto em nada lhe chamara a atenção , viria a fixar-se-lhe no pensamento . Arranjou um marinada para a perna de frango que tinha no frigorífico, cortou em metades umas batatas novas e colocou a assadeira, com dois tomates apenas , dentro do forno que começava a aquecer. Lavou a pouca louça que por ali estava , deu comida aos gatos e foi para a sala onde se sentou por um bocado , fumando um cigarro.Depois , voltou à cozinha, pegou nas batatas e no frango , cortou umas fatias de uma courgette da sua horta e foi tudo fazer companhia aos tomates para o quentinho do forno. Já passava das três e meia quando acabou a refeição. Dormitou no sofá com o televisor ligado à sua frente acordando estonteado com o som da campainha , uns vinte minutos depois. Acordava quase sempre bem disposto após estas pequenas sestas mas desta vez despertara de mau humor , sem grande vontade de falar